Conferência de Solvay

As Conferências de Solvay (também chamadas de Congressos de Solvay) são uma série de conferências científicas celebradas desde 1911. No começo do século XX, estas conferências reuniam os mais consagrados cientistas da época, e proporcionaram avanços fundamentais para a Física Quântica. Foram realizadas no Instituto Internacional de Solvay de Física e Química, localizado em Bruxelas, fundado pelo químico industrial belga Ernest Solvay.

Quinta conferência - 1927: Elétrons e fótons

Em pé: A. Piccard, E. Henriot, P. Ehrenfest, Ed. Herzen, Th. De Donder, E. Schrödinger, J.E. Verschaffelt, W. Pauli, W. Heisenberg, R.H. Fowler, L. Brillouin;

Sentados (atrás): P. Debye, M. Knudsen, W.L. Bragg, H.A. Kramers, P.A.M. Dirac, A.H. Compton, L. de Broglie, M. Born, N. Bohr;

Sentados (frente): I. Langmuir, M. Planck, M. Curie, H.A. Lorentz, A. Einstein, P. Langevin, Ch. E. Guye, C.T.R. Wilson, O.W. Richardson.

Nesta que foi talvés a mais famosa conferência, em 1927, sobre elétrons e fótons, a recém formulada teoria quântica foi discutida com as personalidades dominantes Albert Einstein e Niels Bohr (debate Einstein-Bohr). 17 dos 29 participantes possuiam ou receberiam o Prêmio Nobel.

Cenas do filme "Corpos Celestes"



O longa-metragem "Corpos Celestes" será lançado dia 11 de março de 2011. Para mais informações sobre o filme, acesse: www.corposcelestes.com

NGC 660


A NGC 660 localiza-se próximo do centro dessa intrigante vista espacial, nadando na fronteira da constelação de Peixes. 

Há mais de 20 milhões de anos-luz de distância, sua aparência peculiar a define como uma galáxia de anel polar. Sendo consideradas como um raro tipo, as galáxias de anel polar têm uma substancial população  de estrelas, gás e poeira orbitando em anéis aproximadamente perpendiculares ao plano do disco galáctico. 

A configuração bizarra poderia ser causada pela chance de capturar material de uma galáxia que estivesse passando pelo disco da galáxia, com os detritos capturados se localizando nos anéis em rotação. O componente do anel polar pode ser usado para explorar a forma do halo de matéria escura da galáxia que de outra maneira é invisível, calculando a influência gravitacional da matéria escura sobre a rotação do anel e do disco. 

Mais largo que o disco, o anel da NGC 660 se espalha por aproximadamente 40000 anos-luz.

Possui uma declinação de +13° 38' 37" e uma ascensão recta de 1 horas, 43 minutos e 01,8 segundos.

A galáxia NGC 660 foi descoberta em 16 de Outubro de 1784 por William Herschel.

Garota de 10 anos é mais nova pessoa a descobrir uma supernova

Olhar para o céu e ver estrelas e planetas é uma atividade bastante educativa. Diversas observações permitem estudar o movimento dos astros, o momento em que nascem e com um pouco de estudo e persistência até mesmo prever eclipses e descobrir novos objetos.


Kathryn Aurora Gray se encaixa exatamente nesse tipo observadora. A menina tem apenas 10 anos de idade e em 2 de janeiro de 2010 descobriu o que muitos astrônomos passam a vida inteira procurando: uma supernova, uma explosão repentina e altamente brilhante de uma estrela com mais de 10 massas solares.

Aurora vive na pequena cidade de Fredericton, na província de Nouveau-Brunswick, no Canadá e fez a descoberta ao estudar as imagens armazenadas em um computador e que foram registradas por telescópio automático. Kathryn auxiliava seu pai, o astrônomo amador Paul Gray, a identificar padrões que pudessem caracterizar uma explosão estelar. Quando a menina localizou um possível ponto em imagens captadas no dia anterior, imediatamente comunicou seu pai.

A possibilidade de terem encontrado uma nova supernova foi rapidamente comunicada à União Astronômica Internacional, IAU, que após consultar os catálogos celestes confirmou a descoberta, anunciada esta semana pela Royal Astronomical Society, do Canada.

Acima, a imagem da supernova, com a brilhante galáxia UGC 3378 à esquerda.

Batizada oficialmente de 2010LT, a supernova se localiza a 240 milhões de anos-luz de distância na galáxia UGC 3378, na constelação da Girafa e tem seu brilho estimado em 17 magnitudes, impossível de ser observada à vista desarmada.

Com a descoberta, Kathryn Aurora Gray passa a ser a mais nova pessoa a descobrir uma supernova. Antes dela, o título pertencia à jovem americana Caroline Moore, que em junho de 2009 descobriu a mais tênue supernova já registrada.

http://www.apolo11.com

NGC 6946


NGC 6946 é uma galáxia espiral localizada a cerca de dez milhões de anos-luz (aproximadamente 3,065 megaparsecs) de distância na direção da constelação do Cefeu. Possui uma magnitude aparente de 9,0, uma declinação de +60º 09' 11" e uma ascensão reta de 20 horas, 34 minutos e 52,7 segundos.

A galáxia NGC 6946 foi descoberta em 7 de Setembro de 1798 por William Herschel.

Esta galáxia parece ter explosões de supernovas com grande frequência: desde 1917 já foram detectadas 6. Isso parece indicar que a galáxia terá uma grande taxa de formação de estrelas massivas (com um curto tempo de vida e que acabam as suas vidas com uma explosão deste tipo).

Eclipse solar poderá ser visto nesta terça-feira no Hemisfério Norte

Do G1

O primeiro eclipse solar de 2011, que será apenas parcial, poderá ser visto na próxima terça-feira, 4 de janeiro, em Europa, Norte da África, Oriente Médio e Ásia Central.

O eclipse será visto pela primeira vez com o nascer-do-sol no norte da Argélia, por volta das 6h40 GMT (4h40 de Brasília), antes de deslocar-se para o leste, permitindo que a maior parte da Europa o observe durante a manhã.

Na França, mais da metade e até dois terços do disco solar estarão ocultos pela lua por volta das 8h GMT (6h de Brasília).

O fenômeno também será visível na cidade do Cairo, em Jerusalém, Istambul e Teerã, antes de desaparecer às 11h GMT (9h de Brasília).

Em seguida, será visto na Rússia central, no Cazaquistão, na Mongólia e no noroeste da China, onde poderá ser observado no pôr-do-sol.

Sombra

Os eclipses solares ocorrem quando a Lua se alinha entre a Terra e o Sol, o que significa que o astro fica oculto para as pessoas que vivem em países que se encontram na sombra do satélite natural.

O sol é cerca de 400 vezes maior que a lua, mas também está 400 vezes mais distante. Por isso, nosso satélite natural é capaz de ocultar totalmente o sol quando o observador está na sombra projetada sobre a superfície terrestre.

Os eclipses totais ocorrem quando a lua passa entre a Terra e o sol e os três astros ficam perfeitamente alinhados, enquanto os parciais ocorrem quando uma pequena parte do disco solar fica visível, como se o astro rei tivesse levado uma mordida.

Finalmente, são anulares quando o sol está mais perto da Terra, em janeiro, e a lua longe demais para conseguir ocultá-lo completamente, permitindo que um anel de luz fique visível.

Eclipses de 2011

Quatro eclipses solares parciais e dois eclipses lunares totais estão previstos para 2011, uma rara combinação que ocorrerá apenas seis vezes em todo o século XXI.

O último eclipse total ocorreu em 11 de julho de 2010 e foi visto por milhares de pessoas na Polinésia francesa, na Ilha de Páscoa e no Cone sul do continente americano.

O próximo eclipse solar ocorrerá em 13 de novembro de 2012 e poderá ser visto na Austrália, na Nova Zelândia, no Oceano Pacífico e na América do Sul.

Posição Planetária Atual - Clique na imagem Posição Planetária Atual - NASA

O céu da sua cidade - Clique aqui - Apolo11.com

O Sol Agora - Clique na imagemPosição Planetária Atual - NASA